Início Especias Saiba em que posição está o Brasil no ranking mundial de fumantes

Saiba em que posição está o Brasil no ranking mundial de fumantes

122
0
COMPARTILHAR

A França teve uma grande queda no número de pessoas que fumam diariamente, com 1 milhão a menos entre 2016 e 2017, segundo a agência nacional de saúde pública do país.

No entanto, apesar de décadas de políticas de controle do tabaco, o número de fumantes do mundo tem aumentando, conforme um estudo revelou no ano passado.

Conheça a seguir os países com mais e menos fumantes no mundo, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

1) Kiribati

Essa ilha-nação tem o maior índice de fumantes do mundo: 47,4% da população com mais de 15 anos.

Quase dois terços dos homens e mais de um terço das mulheres nesse arquipélago no meio do Oceano Pacífico têm esse hábito.

Entre as explicações para a disseminação do hábito nesse país de apenas 103 mil pessoas, estão os baixos impostos sobre cigarro e a falta de políticas para controlar o hábito.

2) Montenegro

O país do leste europeu, com uma população de 633 mil pessoas, tem a maior taxa de fumantes do continente, de 46%.

Cada fumante adulto, fuma, em média, 4.124 cigarros por ano.

Ainda que fumar em locais públicos seja proibido, as pessoas continuam a fumar livremente em escritórios, restaurantes, bares e até mesmo no transporte público.

3) Grécia

A Grécia tem a terceira maior taxa de fumantes do mundo: 43,7%. Mais da metade dos homens fumam regularmente, enquanto 35% das mulheres fazem o mesmo.

Uma lei proíbe o fumo em locais públicos desde 2008, mas pessoas podem ser vistas fumando em vários lugares.

Há muito contrabando de cigarros no país – a empresa de pesquisa Euromonitor estima que a capital Atenas perderá 1 bilhão de euros por ano em impostos em 2019 por causa disso.

4) Timor Leste

O país do Sudeste Asiático tem o quarto maior índice de fumantes do mundo, com 42,2%, mas é o líder entre fumantes homens: 78,1%. Enquanto isso, apenas 6% das mulheres têm esse hábito.

A maioria dos maços de cigarro custam menos de US$ 1 (R$ 3,74). Todos os maços trazem alertas sobre os malefícios de fumar, mas essa é uma medida pouco efetiva quando cerca de metade da população não sabe ler.

5) Rússia

Rússia é o quinto país em número de fumantes: 40,9%. Esse índice é quase três vezes mais alto entre os homens (60%) do que entre as mulheres (23%).

A lei russa já proíbe fumar em locais de trabalho e no transporte público, mas a forte presença da propaganda de produtos de tabaco contribui para a alta taxa de fumantes.

O mercado russo de cigarros é estimado em US$ 22 bilhões. Em algumas lojas, pacotes de maços de cigarro podem ser comprados por menos de US$ 1.

E o Brasil?

O país divide com Comores, na costa leste da África, o 34º lugar no ranking da OMS, com um índice de 14%, dentre 149 países.

A taxa de fumantes é bem superior entre os homens (17,9%) do que entre as mulheres (10,1%).

No ano passado, um estudo financiado pela Bill & Melinda Gates Foundation e pela Bloomberg Philanthropies apontou o Brasil como “uma história de sucesso digna de nota” por causa da redução significativa de fumantes entre 1990 e 2015.

Combinando uma alta de impostos e campanhas de conscientização, o país conseguiu fazer cair pela metade a proporção de fumantes em 25 anos.

Os países com menos fumantes

As nações do mundo que detêm esse título são Gana (4%), Etiópia (4,5%), Nigéria (5,7%), Eritreia (5,8%) e Panamá (6,2%).

Cerca de 14% dos africanos fumam tabaco, segundo a OMS, abaixo da média global de 22%. Os homens representam de 70% a 85% dos fumantes no continente.

A baixa prevalência desse hábito entre as mulheres é atribuída aos baixos índices de independência econômica feminina nesta região do planeta – e também ao fato de o hábito ser visto como inadequado para mulheres em vários países.

Gana, Etiópia e Nigéria passaram a fazer parte da convenção da OMS para controle de tabaco e introduziram políticas rígidas para proteger seus cidadãos dos efeitos adversos do fumo.

A popularidade de um estimulante concorrente – as folhas de khat, que costumam ser mastigadas – também ajuda a explicar os baixos índices de fumo na região. A OMS estima que 10 milhões de pessoas masquem essas folhas no mundo.

Mesmo diante desse baixo índice de fumantes, a África é parte do mundo em desenvolvimento onde há o maior aumento desse hábito, segundo o periódico médico Lacet.

Fumar está em declínio em países ocidentais, onde cidadãos têm uma renda mais alta, graças à maior regulamentação, taxação e monitoramento.

Como resultado, a indústria do tabaco está ampliando seus esforços de marketing em países em desenvolvimento para tentar conquistar consumidores jovens.

O maior consumidor do mundo

A China é o maior produtor e consumidor (em termos absolutos) de tabaco do mundo, segundo a OMS. Há mais de 300 milhões de fumantes no país, cerca de um terço do total de fumantes do planeta.

No entanto, a empresa de pesquisa Euromonitor divulgou, em 2016, que o consumo de tabaco caiu na China pela primeira vez em duas décadas.

Hoje, 25,2% da população com mais de 15 anos do país fuma, em grande parte por causa da prevalência do hábito entre os homens (48,4%), enquanto pouquíssimas mulheres (1,9%) fazem o mesmo.

Mulheres

A Dinamarca é o único país que tem mais mulheres fumantes (19,3%) do que homens (18,9%). Esse índice fica inclusive acima da média nacional, de 19,1%.Direito de imagemGETTY IMAGES

De fato, os índices mais altos de mulheres fumantes estão em geral na Europa, com pouca diferença dessa taxa entre homens e mulheres.

O tabaco mata mais de 7 milhões de pessoas por ano. Isso inclui o fumo passivo, porém, mais de 6 milhões dessas mortes são do uso direto de tabaco.

Segundo a OMS, cerca de 80% dos 1,1 bilhão de fumantes do mundo vivem em países de renda média ou baixa.

Fonte: BBC Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui