Início Cidade e Região Quase dois mil londrinenses já tiveram dengue neste ano

Quase dois mil londrinenses já tiveram dengue neste ano

327
0
COMPARTILHAR

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou o boletim atualizado sobre a situação da dengue em Londrina, em entrevista coletiva concedida pela diretora de Vigilância em Saúde, Sônia Fernandes, na tarde de quinta-feira (18). Do início do ano até o momento, houve 12.642 notificações da doença, sendo 1.953 confirmadas, 5.491 descartadas e 5.486 estão em análise, aguardando o resultado de exames laboratoriais.

Segundo Sônia, embora o número de confirmações da doença tenha aumentado, pois na semana anterior foram computados 1.845 casos positivos, as novas notificações estão diminuindo semanalmente. Há três semanas, foram registradas 302 notificações, na sequência 189 e, na semana anterior, 100. “Os casos confirmados vão continuar subindo porque decorrem de exames que estavam em análise no laboratório. Além disso, ainda há mais de 5 mil casos sob investigação”, contou.

A diretora explicou que esta época do ano, que antecede o período de temperaturas mais altas, é ideal para a realização de ações de combate do vetor Aedes aegypti, e que proporcionarão impacto positivo no próximo verão. “Já estamos desenvolvendo parcerias dentro da própria estrutura da Prefeitura, para executarmos um trabalho de limpeza e remoção de resíduos em alguns locais, principalmente em fundos de vale e lugares de descarte irregular de lixos e entulhos, que propiciam o depósito de ovos do mosquito. Se fizermos a remoção ainda no inverno, teremos uma grande diminuição da população de Aedes na próxima estação”, afirmou.

Sônia destacou ainda que toda a população deve permanecer vigilante, evitando a proliferação do mosquito. “Atualmente temos, em Londrina, a circulação de três sorotipos da dengue (1, 2 e 4). Também há outras arboviroses, como chikungunya, zica vírus e febre amarela, que podem chegar no município. Hoje não falamos apenas sobre dengue, pois há outras doenças também transmitidas pelo Aedes, que podem ser até mais prejudiciais do que a dengue”, frisou.

LIRAa – A Secretaria de Saúde também está realizando o 3º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2019, mapeamento que permite identificar como está a infestação por Aedes aegypti no município, quais os bairros mais críticos e os depósitos de focos predominantes nestas áreas. (Fonte: Ncom/Prefeitura)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui