Início Especias Férias? Hora de pensar em seguro residencial

Férias? Hora de pensar em seguro residencial

303
0
COMPARTILHAR

Como viajar nas férias e, ao mesmo tempo, estar seguro de que está tudo certo em casa? Principalmente para quem não mora em apartamentos ou condomínios, a segurança é item fundamental. Alguns cuidados podem e devem ser tomados para evitar quaisquer transtornos e outras atitudes garantem o reembolso de itens em caso de furtos e roubos, além das intempéries climáticas. O advogado Jossan Batistute, sócio do escritório Batistute Advogados (societário, gestão patrimonial e imobiliário) orienta as pessoas que vão viajar a fazer um seguro residencial.

“A orientação para quem vai viajar é adquirir seguros contra furtos e roubos, além dos vendavais, temporais e outras intempéries. O conselho é para quem vai viajar cinco ou mais dias e que mora em casas térreas, fora de condomínios”, ressalta Jossan. Afinal, nessa época do ano algumas pessoas passam as festas de Natal e Ano Novo em cidades de amigos e parentes, deixando a residência vazia. E por que o seguro? “Geralmente é um valor baixo, quase que irrisório diante do patrimônio protegido. E as pessoas viajam com segurança!”, diz.

Mas, é preciso ficar atento ao seguro que está sendo contratado. No momento da contratação, a pessoa deve observar se a seguradora exige notas fiscais, ou uma lista de bens ou ainda realiza vistoria, tudo para definir que objetos há na residência. Algumas empresas fazem depreciação de bens, ou seja, corrigem o valor do bem considerando o tempo de uso e a disponibilidade no mercado.

A dúvida de muitas pessoas é com relação ao tempo de contratação do seguro residencial. “Não há legislação que obrigue o contrato ser de um ano. Se houver resistência da seguradora em fazer por menos de seis meses, ao voltar de viagem o cliente pode rescindir o contrato. Uma vez fazendo a rescisão, o valor pago pode ser estornado proporcionalmente ao que ela não utilizou”, detalha Jossan.

Outros cuidados podem ser observados:

-não deixar vestígios de que o imóvel está vazio, como jornais ou revistas acumulados, luzes acesas durante o período da ausência ou fotos em redes sociais que mostram a família em viagem.

-pedir que vizinhos deem uma olhada no imóvel, vigiem, observem, passem por lá de vez em quando para aguar plantas e mostrar que há movimentação.

-documente tudo, para que não haja problemas com indenização por parte do seguro caso haja roubo ou furto: peça que vizinhos fotografem, registre Boletim de Ocorrência, etc.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui