Início Cidade e Região Número de casos de dengue aumenta 74% em Londrina

Número de casos de dengue aumenta 74% em Londrina

291
0
COMPARTILHAR

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou, na manhã desta quinta-feira (14), o boletim com os dados atualizados sobre a dengue em Londrina, em coletiva de imprensa concedida pelo secretário da pasta, Felippe Machado, no Hospital Evangélico. Foram confirmados 76 casos do início do ano até quarta-feira (13), um aumento de 74% em relação ao número de confirmações da semana anterior, que somavam 44.

Do total de confirmações, a maioria está na região sul, com 62 casos, todos do sorotipo 1; em seguida a leste, com cinco, sendo dois do sorotipo 2, o mais agressivo que pode levar a complicações e óbitos; centro, com quatro; oeste com três; e norte com dois. Outros 50 casos notificados foram descartados e 468 encontram-se em andamento, aguardando o resultado de exames de laboratório.

Segundo o secretário Machado, os números são vistos com muita preocupação e reformam a iminência de uma epidemia de dengue na cidade. “Já superamos o número de casos confirmados do ano inteiro de 2018, que computou 43 registros positivos. No mesmo período do ano passado, Londrina contava com apenas cinco casos de dengue confirmados, por isso a nossa preocupação”, reforçou.

Ações – A SMS continua com a realização de diversas ações, dentro do Plano Emergencial de Enfrentamento e Contingência da Dengue, anunciado no final de janeiro, entre elas a aplicação de veneno com veículos de fumacê, para matar o mosquito na fase adulta. A execução está programada para iniciar na tarde de hoje, por volta das 17 horas, e deve seguir até as 23 horas. “Os veículos enviados pelo governo do Estado já chegaram em Londrina e devem percorrer, inicialmente, os bairros das regiões sul e leste, as mais afetadas pela doença”, contou o secretário.

Além disso, neste sábado (16), será feito um grande mutirão de limpeza no fundo de vale da região do Itapuã, zona sul de Londrina, às 8 horas, uma parceria entre as secretarias municipais de Saúde, Obras e Pavimentação e Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). “O município vai executar esta ação extrema de recolhimento de lixo, mas isso não fará, por si só, com que os casos diminuam, assim como o fumacê. Se não olharmos para nossos quintais e casas, retirando os criadouros, nada disso vai adiantar, pois sabemos que 80% dos criadouros estão dentro das residências. Somente as ações compartilhadas poderão evitar uma epidemia de dengue em Londrina”, advertiu Machado.

Ainda na região sul, prossegue a vistoria em cerca de 27 mil imóveis, iniciada na última segunda-feira (11), por 130 agentes de endemias, com o objetivo de eliminar possíveis criadouros do mosquito, além de orientar a comunidade sobre o combate ao vetor. Na próxima semana, a SMS deve adotar novas estratégias de enfrentamento, visto que as notificações estão crescendo em toda cidade. “Decidimos dividir as equipes para atuarem em todas as regiões”, explicou.

De 18 a 22 de fevereiro, haverá quatro equipes finalizando os trabalhos na região sul, que foram atrapalhados em razão da chuva desta semana. Outras quatro na região norte, nos bairros: Vivi Xavier; Athenas; Marieta; João Paz; Semíramis; Violin; Milton Gavetti; Paraíso; Clube Primavera; Maria Cecília; Belém; Residencial Catuaí; Porto Seguro e Farid Libos.

Haverá mais quatro equipes nos bairros da região noroeste: Chefe Newton; Parigot de Souza II; São Jorge; Nossa Senhora Aparecida; Vista Bela; Paraty; Ruy Virmond Carnascialli; Ouro Verde; Hilda Mandarino; Imagawa; Cabo Frio; Nova Olinda; Santo André. As localidades foram selecionadas devido ao número de notificações e os agentes farão um trabalho de casa em casa nestes locais.

Outras quatro equipes estarão nas regiões centro e oeste, em rotina normal de trabalho, e na região leste haverá agentes trabalhando nos imóveis em que as equipes não foram recebidas. Permanecem, ainda, a intensificação de ações educativas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), pelas equipes de Atenção Primária junto às comunidades.

Reunião – Antecedendo à coletiva de imprensa, o secretário de Saúde esteve reunido com sua equipe e serviços externos da cidade, como o Hospital Evangélico, Hospital da Zona Sul, Associação Médica de Londrina e 17ª Regional de Saúde, para apresentar o panorama atual de casos notificados e confirmados e analisar como está sendo o dia a dia do recebimento de pacientes com suspeita de dengue. Também foram reforçadas as orientações técnicas a respeito do protocolo instituído na rede de atendimento, que uniformiza e padroniza o acolhimento aos pacientes, a fim de obter mais sucesso no combate à doença. As reuniões acontecerão todas as quintas-feiras, às 8h30.

Em caso de suspeita de dengue a orientação é para que a população se dirija às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), para que o diagnóstico inicial e a notificação sejam feitos. Os hospitais ficam na retaguarda, recebendo os casos que exigem maior atenção e internação clínica. Os principais sintomas da dengue são febre alta, dores articulares, musculares e de cabeça, manchas avermelhadas na pele e indisposição. (Fonte: Ncom/Prefeitura)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui