Início Cidade e Região Prefeitura adota medidas para diminuir efeitos da greve dos caminhoneiros

Prefeitura adota medidas para diminuir efeitos da greve dos caminhoneiros

192
0
COMPARTILHAR
População faz fila nos postos de Brasília; combustível começa a faltar

A Prefeitura de Londrina tomou algumas medidas para garantir o funcionamento dos serviços públicos municipais, por conta da greve dos caminhoneiros que afetou o abastecimento de combustíveis em todo o país. As providências foram anunciadas na manhã desta quinta-feira (24), em entrevista coletiva concedida na sede da Prefeitura, pelos secretário de Governo, Juarez Paulo Tridapalli; secretário de Saúde, Felippe Machado; controlador-geral, Marcos Urbaneja; secretário de Defesa Social, Evaristo Kuceki, e pelo coordenador do Núcleo Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-LD), Gustavo Richa.

A fim de reduzir o impacto da falta de combustíveis no Município, desde ontem (23) a Prefeitura elaborou um Plano de Contingência, que limita a circulação dos veículos da administração municipal apenas em casos de urgência ou extrema necessidade, para priorizar os serviços essenciais, como os da Saúde e de Segurança. A prefeitura consome, em média, 40 mil litros de combustível por mês.

Segundo o secretário Tridapalli, a Guarda Municipal está com a frota abastecida, com combustível suficiente para os próximos cinco dias, e o transporte escolar rural tem suprimento para atender as crianças da rede até amanhã (25). “Depois disso, vamos reavaliar a situação e, se por ventura a greve persistir, poderemos tomar inclusive medidas judiciais, em último caso, para garantir o funcionamento normal do setor público municipal”, disse.

Na área da Saúde, o município está buscando atender com prioridade os serviços assistenciais. Segundo o secretário Machado, a prefeitura possui uma reserva de 1.500 litros óleo diesel S-10, suficientes para abastecer as sete ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) nos próximos dez dias. “Para os veículos que prestam serviço diretamente aos pacientes, nas unidades de pronto-atendimento, Maternidade Municipal e serviço de internação domiciliar, temos reserva para os próximos cinco dias”, informou.

De acordo com o secretário, as atividades administrativas da Secretaria de Saúde, como entrega de documentos e reuniões, estão sendo reagendadas no sentido de conseguir economizar o combustível para priorizar os serviços de urgência e emergência. “Até o final desta semana todas as viagens para os pacientes que necessitam se deslocar para outros municípios estão garantidas, contudo, a partir de segunda-feira (28), se ainda persistir este cenário de paralisação, vamos tentar reagendar as viagens eletivas, de forma que não haja prejuízos para os pacientes. As viagens de emergências, como para os casos de transplantes, estão mantidas”, contou.

Medida judicial

O secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti, que também esteve presente na coletiva, informou que os dois caminhões comboios, que fazem a distribuição de combustível para as máquinas da Secretaria de Obras e de Agricultura e Abastecimento, estão com uma reserva técnica. “Vamos acompanhar a situação e não descartamos uma medida judicial, a fim de zelar pela prestação de serviços para a população”, adiantou.

O Restaurante Popular tem abastecimento para atender a população normalmente nos próximos cinco dias. Em nota, a Sercomtel Telecom e Iluminação informaram que também estão priorizando os atendimentos de urgência e que o contingenciamento de combustíveis poderá afetar a realização da manutenção dos serviços de telefonia, internet e iluminação pública.

(Com informações do Núcleo de Comunicação da PML – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui