Início Cidade e Região Só 20% do público alvo recebeu vacina contra gripe até agora

Só 20% do público alvo recebeu vacina contra gripe até agora

111
0
COMPARTILHAR

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou um balanço parcial da vacinação contra a gripe, iniciada em 10 de abril. Até o momento foram aplicadas 36.797 doses. A maior parte (19.014) em idosos, com idade superior a 60 anos ou que completem 60 anos em 2019; seguido por crianças entre seis meses e menores de seis anos (9.682); pessoas com comorbidades (4.043); gestantes (1.914); trabalhadores de saúde (1.470); professores em atividade (426); e puérperas (248).

A meta do município de Londrina é vacinar, até o dia 31 de maio, 90% de 168 mil pessoas que compõem os grupos prioritários. O secretário da pasta, Felippe Machado, informou que a SMS identificou, nas primeiras semanas, que a busca pela imunização ainda está muito baixa, o que preocupa o Município, uma vez que nesta época do ano a busca pelas unidades de pronto atendimento aumenta, devido a causas respiratórias, e muitas delas podem estar vinculadas ao vírus da influenza. “Por isso a necessidade de se vacinar, pois esta é uma doença em que nos casos mais agudos pode levar a óbito”, alertou.

Além dos grupos mencionados, integram o público-alvo a população indígena, incluindo crianças com mais de seis meses; funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa; profissionais das forças de segurança e salvamento, como policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas.

A imunização é gratuita e em Londrina pode ser realizada em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), tanto na área urbana como rural. Para receber a dose, é necessário ter em mãos a carteira de vacinação e, se possível, documento de identificação com foto. No caso das puérperas é preciso levar também o comprovante de nascimento do bebê.

Os professores devem apresentar declaração da unidade escolar onde atuam; pacientes com doenças crônicas ou outras condições clínicas especiais precisam ter em mãos solicitação médica que indique a patologia de base e a necessidade da vacina; e os trabalhadores da saúde, seja da rede pública ou privada, devem apresentar sua identificação profissional. As forças de segurança devem estar uniformizadas ou com documento de identificação.

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul, incluindo o H1N1, e é contraindicada para bebês menores de seis meses. Ela não causa a gripe e a relação completa de comorbidades com indicação para receber a dose pode ser conferida na Nota Técnica emitida pelo Ministério da Saúde, página 15, link https://bit.ly/2GzouN0.

Fonte: Prefeitura/Ncom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui