Início Cidade e Região Mais de 40 mil ainda não foram às UBS receber a vacina...

Mais de 40 mil ainda não foram às UBS receber a vacina contra gripe

261
0
COMPARTILHAR

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou um balanço parcial da vacinação contra a gripe, iniciada em 10 de abril. Faltando cerca de duas semanas para o término da campanha, que se  encerra no dia 31 de maio, o Município imunizou 109.653 pessoas até agora. A meta é vacinar 151.312 mil cidadãos em Londrina, número equivalente a 90% de 168.124 pessoas que estão nos grupos prioritários.

Os idosos foram os que mais procuraram a vacinação até o momento (51.498); seguidos por crianças entre seis meses e menores de seis anos (18.374); pessoas com comorbidades (16.997); trabalhadores de saúde (12.079); professores (3.576); gestantes (2.958); população privada de liberdade (2.644); forças de segurança (532); puérperas (382); servidores do sistema prisional (598) e indígenas (15).

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, disse que a SMS está preocupada com a baixa cobertura vacinal, em especial nas gestantes e crianças menores de seis meses. “Solicitamos que os pais destas crianças levem seus filhos para serem imunizados, bem como as pessoas que fazem parte do grupo de risco estipulado pelo Ministério da Saúde, pois os números apontam que, este ano, os vírus da influenza estão circulando com toda força, levando muitas pessoas ao óbito no estado do Paraná”, alertou.

A imunização é gratuita e em Londrina pode ser realizada em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), tanto na área urbana como rural, das 7 às 19 horas. Para receber a dose, é necessário ter em mãos a carteira de vacinação e, se possível, documento de identificação com foto. No caso das puérperas é preciso levar também o comprovante de nascimento do bebê.

Os professores devem apresentar declaração da unidade escolar onde atuam; pacientes com doenças crônicas ou outras condições clínicas especiais precisam ter em mãos solicitação médica que indique a patologia de base e a necessidade da vacina; e os trabalhadores da saúde, seja da rede pública ou privada, devem apresentar sua identificação profissional. As forças de segurança e salvamento, como policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas, devem estar uniformizadas ou com documento de identificação.  A Saúde está atuando com as equipes de atendimento domiciliar das UBSs para proteger os pacientes acamados.

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul, incluindo o H1N1, e é contraindicada para bebês menores de seis meses. Ela não causa a gripe e a relação completa de comorbidades com indicação para receber a dose pode conferida na Nota Técnica emitida pelo Ministério da Saúde, página 15, link https://bit.ly/2GzouN0. (Fonte: Prefeitura/NCom)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui