Início Cidade e Região Zona Azul de Londrina agora tem aplicativo “Estacione Legal”

Zona Azul de Londrina agora tem aplicativo “Estacione Legal”

415
0
COMPARTILHAR

Os usuários do estacionamento rotativo Zona Azul agora contam com uma ferramenta moderna e prática. Foi lançado, nesta sexta-feira (24), o aplicativo móvel da Zona Azul, serviço administrado pela Escola Profissional e Social do Menor de Londrina (Epesmel), por meio de contrato firmado com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Durante o evento de lançamento, que ocorreu na sede da Epesmel, o prefeito Marcelo Belinati elogiou a atuação da entidade na cidade, fundada em 1976 e que desenvolve vários serviços socioassistenciais com crianças e adolescentes. “Tenho muito respeito pela Epesmel. Antes de assumir como prefeito, e logo após, recebi diversas sugestões de medidas para o estacionamento nas vias públicas, mas sempre envolvendo a terceirização desse serviço para empresas privadas. Ignorei todas, pois em Londrina contamos com essa instituição que faz um grande trabalho social com os recursos obtidos por meio da Zona Azul”, afirmou.

Localizada na zona leste, a Epesmel presta atendimentos de convivência e fortalecimento de vínculos para 650 crianças e adolescentes, com idades de seis a 17 anos. Também presta serviços de aprendizagem, com participação de 600 adolescentes, na faixa etária de 14 a 17 anos, e que atuam como menores aprendizes. Dentre o montante arrecadado por meio dos pagamentos da Zona Azul, excetuando a taxa administrativa de 7% repassada à CMTU, todos os recursos são destinados à manutenção destas atividades, que também conta com repasses do convênio com a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS).

Marcelo destacou que Londrina está vivendo um grande momento, como não ocorria há muito tempo, e citou que a modernização proporcionada pelo aplicativo gratuito é uma das medidas que merecem divulgação e reconhecimento. “A cidade está vivendo um momento ímpar e, dentro desse contexto, agradeço a Epesmel que desde sua fundação ajudou a construir nossa cidade. Milhares de jovens trilham hoje um bom caminho graças ao que vocês proporcionaram a eles, e isso com certeza ajudou e ainda ajuda a construir uma Londrina cada vez melhor”, ressaltou.

Segundo o presidente do Instituto Leonardo Murialdo e diretor da Epesmel, Padre Esvildo Valentino Pelucchi, todo cidadão pode acessar a página da Escola, onde estão publicados os relatórios com informações sobre a arrecadação da Zona Azul, demais fontes de recursos, como o convênio com o Município, e todas as despesas da escola, que envolvem desde o pagamento dos funcionários a alimentação das crianças, gastos com a construção dos novos prédios, entre outras.

Pelucchi lembrou também que Londrina é um dos poucos municípios do país que conta com essa parceria de longo prazo, entre Prefeitura e Epesmel. “Temos esse diferencial, que é a visibilidade social, em nossa cidade. Ao longo dos nossos 43 anos de atividade, atendemos mais de 30 mil crianças e, se somarmos suas famílias, chegamos a mais de 100 mil pessoas impactadas por esse trabalho. É dessa forma que todo recurso obtido por meio da Zona Azul retorna para a cidade”, apontou.

Aplicativo – A apresentação do aplicativo “Estacione Legal” ficou por conta do coordenador da Zona Azul, Wellington Luís Marcati. O programa, que já pode ser baixado em celular com sistema Android ou iOS, trouxe várias funcionalidades requisitadas pelos usuários, como a recuperação do período pago e não utilizado, e a possibilidade de pagamento com cartões de crédito e débito.

Após efetuar o cadastro de dados pessoais e a confirmação do e-mail utilizado, o aplicativo está pronto para uso. É preciso indicar o veículo que fará uso da vaga na Zona Azul, por meio da placa, e selecionar o tempo de permanência, que possui um mínimo de 30 minutos e pode ser complementado de 15 em 15 minutos. “Após o pagamento do ticket, inicia a contagem decrescente do período de estacionamento. Caso seja necessário, o usuário poderá complementar esse prazo, a distância, desde que tenha acesso à internet. E, se ele souber de antemão que não terá como fazer isso, por falta de sinal ou qualquer outro empecilho, pode adquirir previamente o ‘ticket de espera’, que só é utilizado após encerrar o primeiro ticket pago”, explicou o coordenador.

O monitor da Zona Azul fará a verificação online dos carros estacionados nas vagas rotativas que não tenham tícket impresso no painel do veículo. Se o motorista fizer uso do Estacione Legal, o monitor terá acesso ao período selecionado, prazo para retirada do veículo, e demais informações, assim como no ticket impresso padrão. “Mesmo com o aplicativo em funcionamento, vamos manter os parquímetros, monitores e supervisores, ou seja, é uma ferramenta para somar à opção já utilizada na cidade”, contou Marcati. (Fonte: Prefeitura/Ncom)

Foto: Vivian Honorato/Ncom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui